Foi em 1957 que o empreendedor e visionário Anibal Tavares Lopes começou a história do PR Grupo Paraná. Naquela época, ele foi contratado por uma jazida de calcário e passou a trabalhar no setor, fundando a Sousa & Tavares em 1966, que se fundiu com a Serraria Paranaense em 1970 e, finalmente, deu início a Paraná Granitos em 1987.

Ainda no final da década de 80, o grupo adquiriu a jazida de um dos seus materiais mais tradicionais: o Café Imperial. De lá para cá, a empresa passou a ser comandada pelos filhos do fundador e atravessou diversos momentos como a fundação da Stone Gallery, a aquisição da jazida do Crema Paraná e a inauguração do centro de distribuição na Flórida (EUA). Foi em 2016, mesmo ano da expansão para território norte-americano, que a empresa se unificou e passou a ser chamada de PR Grupo Paraná.

Celso Pontes, diretor do PR Grupo Paraná

Hoje, além do centro de distribuição nos Estados Unidos, o PR Grupo Paraná tem três unidades no Brasil – sendo a matriz no Paraná e duas filiais em Minas Gerais e no Espírito Santo. A empresa trabalha desde a extração até industrialização e distribuição de materiais de jazidas próprias, incluindo o mármore Branco Paraná, os granitos Café Imperial, Volcano, Sea Foam Green, Bege Dunas, Verde Paraná e o limestone Crema Paraná.

Os parques industriais, localizados no Paraná e em Minas Gerais, têm, respectivamente, 21 mil metros quadrados e 40 mil metros quadrados. Na filial paranaense, são seis máquinas em operação, incluindo tear multifios, politriz, levigadora, linha de resinagem automática e monofio. Já a unidade mineira tem três máquinas que garantem a operação e distribuição.

Através de investimentos em novos maquinários, caminhões e aumento do horário de funcionamento das máquinas em operação, o grupo conquistou aumento de cerca de 40% na produção da unidade do Paraná e também em Minas Gerais, encerrando o desafiador ano de 2020 de forma positiva.

“Os principais desafios de 2020 foram adequar a produção nos momentos em que o mercado praticamente fechou e a posterior reativação da equipe quando o mercado de rochas ornamentais reagiu positivamente. Estamos investindo, trabalhando com 40% a mais na produção e esperamos atender à crescente demanda pelos produtos naturais, aumentando as vendas em até 50% em 2021”, ressalta Celso Pontes, diretor do grupo. 

Escritório AMMO Arquitetura – Revista Haus 2020 – Material Macchia Oro

Com 200 colaboradores diretos, o grupo tem capacidade produtiva mensal de cerca de 27 mil metros quadrados, considerando todas as unidades. Atualmente, o PR Grupo Paraná está trabalhando bastante com o mercado interno, que está aquecido e responde por cerca de 85% das vendas.

“Buscamos oferecer produtos de qualidade com preços competitivos. Além disso, somos detentores da tecnologia Pietrafina, um processo inovador e exclusivo que permite alcançarmos a espessura de 5 mm nas chapas de mármore, gerando 70% mais leveza, resistência, sustentabilidade e translucidez”, explica Pontes.  

Entrevista ping pong: 
Quais são os países que a empresa mantém negócios? 
Estados Unidos, China e países da Europa.

Qual foi o maior desafio enfrentado até hoje pelo grupo?
Instabilidade econômica e política, oscilações da moeda e burocracias para importação de equipamentos. Tudo isso certamente dificultou bastante na tomada de decisão da modernização do parque fabril da empresa. 

Como você iniciou no mercado de rochas ornamentais? Como é sua história com a empresa?
Iniciei no final da década de 1990, tendo anteriormente trabalhado em uma marmoraria de um dos sócios da PR Grupo Paraná. No início, trabalhei direto na indústria/serraria e no polimento, sendo que posteriormente passei para a área comercial – vendendo, principalmente, granitos de jazidas próprias. 

Fora as atividades diárias do mercado de rochas ornamentais, a empresa trabalha com outras iniciativas (projetos sociais, causas diversas, etc)? 
Sim, o PR Grupo Paraná tem como compromisso a responsabilidade socioambiental, buscando identificar, reduzir e/ou eliminar os impactos que os processos possam causar ao meio ambiente. Com essa preocupação, a empresa conta com áreas de reflorestamento ambiental próximas às jazidas, além de trabalhar com iniciativas sociais como colônia de férias para filhos dos colaboradores do grupo em Minas Gerais - lá as crianças se divertem e, principalmente, aprendem sobre essas responsabilidades através de brincadeiras, aulas e “mão na massa”. Outra iniciativa do grupo é a adoção de três escolas municipais da cidade na Santa Rita de Caldas (MG).