Mineração do lixo ao luxo

0
235

Logo que entramos no mundo da mineração, há mais de 20 anos, aprendemos um ditado que diz mais ou menos o seguinte: “A cada mil áreas pesquisadas, dez vão virar minas. Destas dez minas, seis vão ter prejuízo, três vão empatar dinheiro e apenas uma vai dar lucro. O lucro gerado por esta área pagará o investimento das outras 999”. Agora resta saber: em qual dessas 1.000 áreas você está encaixado?

Através do 2º edital de disponibilidade foi demonstrado ao setor de rochas de revestimento, mais uma vez, a importância da pesquisa mineral bem-feita e a necessidade de uma revisão constante das áreas e dos materiais. Neste edital foram colocadas pouco mais de sete mil áreas em disponibilidade, das quais 1.713 foram captadas por oferta pública (sem lance em leilão) e 1.985 foram arrematadas em leilão. Desta forma, podemos entender que mais de 52% das áreas (3.698) que foram colocadas em disponibilidade, consideradas lixo por alguns, acabaram sendo adquiridas por alguma empresa. Notem o quão importante é este percentual de áreas que foram descartadas ou perdidas por alguém e que geraram interesse em um terceiro. Caso todos os processos adquiridos em leilão sejam pagos, a ANM arrecadará mais de R$ 165.000.000,00 somente em lances. Juntas, as mais de 3.600 áreas somam mais de 4.900.000 hectares, o que traz para a ANM a expectativa de arrecadação de mais R$18.000.000,00 em Taxa Anual por Hectare (TAH) por ano. Considerando um prazo médio de dois anos dos alvarás de pesquisa, a 2ª rodada de disponibilidade gerará para a união mais de R$ 200.000.000,00.

Em outras oportunidades, nessa mesma revista, nós indicamos a importância da pesquisa mineral acompanhada de técnico habilitado e experiente e como isso é fundamental para o setor de rochas de revestimento. Estimativas iniciais, informais, apontam que das mais de 3.600 áreas adquiridas no segundo edital, mais de mil estão vinculadas ao setor de rochas de revestimento. A área mais cara adquirida por empresas do setor está localizada no estado do Ceará e o lance foi de R$ 850.000,00. Uma empresa do setor, sozinha, investiu cerca de R$ 3.300.000,00 para a aquisição de 14 áreas, nas quais os mapas geológicos indicam a presença de quartzitos de coloração azul, verde e branco, três das quais adquiridas por mais de R$ 500.000,00. 

Nos próximos cinco anos saberemos o real impacto deste segundo leilão para o setor de rochas de revestimento, quantas minas efetivamente serão abertas nestas áreas e se os valores investidos trarão resultados para as empresas. Vamos torcer para que o ditado ensinado aos iniciantes do setor não seja verdadeiro, que muito mais de dez novas minas sejam implementadas e que novas oportunidades incentivem novos negócios. Neste prazo poderemos afirmar se o lixo de alguns se tornou luxo de muitos.

Esta segunda rodada mostrou, mais uma vez, a importância do setor de rochas de revestimento para a ANM e para a sociedade brasileira. Espera-se que a partir desta rodada novas áreas, com potencial para rocha de revestimento, sejam disponibilizadas e que o setor seja tratado com o devido respeito pelos gestores da mineração nacional. Este tratamento equânime que o setor necessita dos reguladores passa por avaliações mais céleres dos relatórios de pesquisa, dos PAE e na emissão das concessões de lavra. Para um registro histórico no ano de 2020 foram emitidas pouco mais de 500 concessões de lavra, das quais quase 10% foram para o setor de rochas de revestimento. Estima-se que outras 3.000 áreas de rochas de revestimento de procedimentos de disponibilidade antigos ainda estejam presas na burocracia governamental aguardando análise dos documentos apresentados.

Para aqueles que não participaram dessa 2ª rodada, e para aqueles que participaram e ainda tem apetite, a ANM acabou de abrir o 3º edital com pouco mais de 2.000 áreas para pesquisa. Caso seja mantido o mesmo percentual do edital anterior, estima-se que cerca de 300 processos possam ser adquiridos pelo setor de rochas de revestimento, gerando ainda mais oportunidades. Assim, recomendamos que as empresas procurem profissionais de confiança, com bastante experiência no setor e conhecimento geológico para a indicação das áreas de maior potencial dentre as disponíveis no momento. Uma boa seleção de áreas pode diferenciar o seu projeto dos 99,9% que dão prejuízo dos 0,1% que geram riqueza e pagam a conta de todos os demais. Contrate quem entende, pois o barato poderá deixar o luxo no lixo!

Anna Christina Rossato e Igor Plein Bolzan
Engenheiros de Minas 
Rossmit Engenharia Ltda.
Consultoria em Mineração e Meio Ambiente.
Fone: (27) 33251780
Instagram: @rossmit_engenharia
E-mail: rossmit@rossmit.com.br 
Site: www.rossmit.com.br