ZPE II é inaugurada no Ceará; indústrias do setor de rochas poderão se instalar no local

0
186

Com 1.911 hectares, o Setor 2 da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), do Complexo do Pecém, foi inaugurado na manhã de terça-feira (16) em Caucaia (CE). O investimento do Governo do Ceará foi de R$ 13 milhões na preparação do espaço com vias de acesso e secundárias pavimentadas, infraestrutura de transmissão de energia elétrica, iluminação, fibra ótica e circuito fechado de televisão.

O governador Camilo Santana destacou o trabalho que vem sendo feito na região para dotar o espaço de infraestrutura e, consequentemente, atrair mais empresas. “Essa ação é uma entre as outras que o Governo tem feito em infraestrutura. Aqui é toda uma visão que começou lá atrás, por ex-governadores, que enxergaram no Complexo do Pecém uma oportunidade de desenvolvimento do Ceará. Essa ZPE – Setor 2 está toda estruturada, são quase 2 mil hectares. Estamos reunindo cada vez mais todas as condições para transformar o Ceará em hub tecnológico, portuário, aéreo e, se Deus quiser, de hidrogênio verde. A gente pode mudar o perfil econômico do estado nos próximos dez anos”, enfatizou o governador.

A ampliação da Free Trade Zone cearense traz um diferencial, que é a flexibilização na divisão de seus lotes, permitindo uma divisão em vários tamanhos.

A novidade é uma ótima notícia para as indústrias do setor de rochas, que poderão instalar seus espaços no local. Além disso, com que a ZPE II e o novo marco legal, a barreira antes imposta sobre o volume de exportação deixa de existir, fazendo com que as empresas possam exportar e comercializar com o mercado interno sem limitação.

Recorde de movimentação

A ZPE Ceará foi a primeira a entrar em operação no país, há oito anos, e é a única em operação. Nesse período já movimentou mais de 61 milhões de toneladas. No total, ela possui 6.182 hectares. Sua Área de Despacho Aduaneiro (ADA) está localizada estrategicamente a apenas 6 km de distância do Porto do Pecém, a menos de 60 km da capital cearense e aproximadamente 56 km do Aeroporto Internacional de Fortaleza. Ela é associada à Associação de Zonas Francas das Américas (AZFA) e Organização Mundial de Zonas Francas (WFZO).

Eduardo Neves, presidente da ZPE Ceará, enalteceu o papel de impulso econômico dessas zonas. “As ZPEs na América Latina são 630. Elas têm 13 mil empresas de serviços e indústrias que geram quase um milhão de empregos diretos. Exportam em torno de $ 38 bilhões e representam, em média, quase 6% do PIB nos países onde estão instaladas. Aqui, na nossa ZPE, representamos mais de 50% das exportações do Ceará. Temos uma área pronta para receber as empresas. Com o novo marco legal, acreditamos que a ZPE pode ser um forte instrumento de atração para o desenvolvimento do Ceará”, pontua Eduardo.

Fonte: Governo do Estado do Ceará e Instituto Brasileiro das Rochas Ornamentais