Brazilian Stones

www.brazilianstones.com.br

Nos últimos anos acompanhamos o crescimento do mercado de rochas naturais brasileiro.
O mercado amadureceu e se modernizou, investiu em novas tecnologias e se tornou referência internacional pela sua geodiversidade. Hoje temos mais de 1200 variedades de rochas em aproximadamente mil pedreiras ativas.

Com a sensação de legado, o Catálogo Brazilian Stones foi reformulado e lança em 2019 uma nova versão, pronto para acompanhar as mudanças que surgiram no mercado nessas últimas décadas.

Há 25 anos, o CINROCHAS tinha o sonho de reunir todo o segmento em um único local, mas com o avanço dos meios digitais a nova proposta é que o Brazilian Stones esteja com você em todos os momentos em que for necessária uma ferramenta para tornar visível todas as possibilidades que as rochas brasileiras, e as grandes empresas que aqui estão, são capazes de oferecer.

Entrevistamos os diretores Daniel Vampré de Castro e Felipe Vampré de Castro para sabermos um pouco mais sobre a nova versão do catálogo e os planos para o futuro.

COMO SURGIU A IDEIA DO CATÁLOGO DE ROCHAS NATURAIS BRAZILIAN STONES?

Emmanuel Mateus de Castro

Felipe: A ideia vem de longa data. O Brazilian Stones foi idealizado pelo fundador da Revista Rochas de Qualidade, nosso pai, Emanuel Mateus de Castro (in memorian), que foi reconhecido por sua personalidade visionária e sua competência à frente da revista, sempre em prol do setor de rochas naturais, entre outras características pessoais e profissionais. A proposta do catálogo surgiu há 25 anos, quando foi lançado o projeto CINROCHAS – Exposição Permanente das Rochas Ornamentais Brasileiras, em São Paulo.

Entre 2004 e 2009, foi divulgado o Catálogo dos Exportadores Brasileiros, impresso e com CD, promovendo as imagens e as origens de mais de 600 tipos de materiais. Em 2012, após a crise imobiliária nos Estados Unidos, o catálogo www.brazilianstones.com.br, que na época já estava consolidado, foi fortemente difundido no Brasil e em outros países.

Daniel: Agora, olhando para o mercado atual e planejando o futuro, lançamos uma nova versão, atualizada, inovadora e de fácil compreensão, produzida com a melhor tecnologia de inteligência de Backend para captação e administração de leads e visualização dos materiais.

QUAL É O OBJETIVO DO CATÁLOGO BRAZILIAN STONES?

Felipe: O objetivo principal de todas as iniciativas da Revista Rochas sempre será o fortalecimento e crescimento do mercado. Com base nesse objetivo, desejamos que o Catálogo Brazilian Stones seja não só uma ferramenta de marketing, que trabalha em
conjunto com o departamento comercial das nossas empresas parceiras, mas que ele se consolide como a principal e melhor fonte de consulta de rochas naturais brasileiras.

Daniel: O catálogo vai apresentar toda a diversidade das rochas naturais brasileiras, com dados técnicos de aplicabilidade e informações dos produtores para que possam indicar seus distribuidores credenciados. Com isso, esperamos que o setor atinja melhores resultados e introduza materiais ainda desconhecidos nos mercados interno e externo, fomentando uma vasta rede de distribuição varejista.

QUAL O PRINCIPAL DIFERENCIAL DO BRAZILIAN STONES?

Felipe: A história! A Revista Rochas possui um relacionamento de 52 anos com o mercado mundial de rochas naturais, e a certeza de estar entre amigos quando falamos do mercado nacional e parte do mercado internacional. Na última edição publicada do Brazilian Stones, em 2009, tínhamos somente 600 tipos de materiais. Acompanhamos nesses dez anos as empresas e o surgimento das novas rochas. Hoje, são mais de 1.200 materiais. Nesse período aprendemos muito, amadurecemos, comemoramos e compartilhamos resultados.

Daniel: Vejo o Brazilian Stones como uma ponte, um elo entre os fornecedores, que precisam escoar a produção, e seus clientes (distribuidores, marmoristas e consumidor final). E como foi dito pelo meu irmão Felipe, a nossa história possibilita que essa ponte seja forte. Nossa base de leitores é ativa. Com ela, chegamos a milhares de leitores nacionais e internacionais em tempo recorde. Enviamos bimestralmente 1250 revistas para os principais importadores americanos, que representam 80% da exportação de chapas e para o mercado interno, que é o principal mercado do país. Acreditamos que temos o veículo mais qualificado para a divulgação do acervo do Brasil, o que torna o Brazilian Stones único.

“VEJO O BRAZILIAN STONES
COMO UMA PONTE,
UM ELO ENTRE OS FORNECEDORES,
QUE PRECISAM ESCOAR
A PRODUÇÃO,
E SEUS CLIENTES.”

QUAL MERCADO VOCÊS PRETENDEM ATINGIR COM A NOVA VERSÃO DO CATÁLOGO?

Daniel: Temos a sorte de trabalhar em um segmento em que o mercado de atuação é quase ilimitado. Trabalhamos sempre para fortalecer o material brasileiro e divulgá-lo em âmbito nacional e internacional e tentamos estar presente em todos os continentes. Com um catálogo digital, pensado para smartphones e múltiplas telas, nossa meta é estimular o consumo das rochas naturais em diversos segmentos, como o mobiliário, design, obras de arte, revestimentos, estruturais, entre outros.

QUAL É O PÚBLICO ALVO?

Felipe: Sempre que é feita essa pergunta pensamos em outra pergunta: quem utiliza pedras naturais? A resposta é que, de forma consciente ou não, todos têm contato diário com rochas naturais. Sendo assim, o público alvo é ilimitado. Mas, como respondemos anteriormente, com o objetivo de fortalecer o mercado, temos como foco os principais compradores do mercado, marmoristas, arquitetos, designers de interiores, distribuidores, importadores, exportadores e construtoras. O que não impede a utilização do site por estudantes e consumidor final, que poderão fazer pesquisas e escolher a rocha que mais se adequa ao seu perfil.

COMO UM ARQUITETO PODE UTILIZAR O BRAZILIAN STONES COMO FERRAMENTA DE TRABALHO?

Felipe: Idealizamos o site para que ele seja simples, ágil e o mais inteligente possível. Por esse motivo o seu desenvolvimento foi pensado primeiramente no mobile. No caso do arquiteto, caso ele precise de mais informações sobre o material basta buscá-lo de forma direta no site e encontrará uma descrição, as empresas que fazem a comercialização, além de dados gerais como cor, tipo, estilo, aplicabilidade e perfil da empresa fornecedora da rocha.

Criamos uma galeria de imagens relacionadas ao material que serve como inspiração, além de ser uma área técnica, em que é possível ver o bookmatch, a chapa em close, imagens de ambientes e a foto da pedreira. Como essa última imagem é mais técnica, pensamos em adicioná-la ao Brazilian Stones pensando nas grandes obras, pois essa foto ajuda a mensurar a capacidade de produção do material.

Daniel: O site também foi pensado para auxiliar na busca tendo como ponto de partida características dos materiais. Caso o arquiteto saiba apenas que utilizará uma cor específica, quando ele fizer a busca por cor, terá acesso a granitos, quartzitos, mármore,
entre outros. Também pode ocorrer da busca ser por “Mármore Branco” e ter esse filtro casado, o resultado será uma tela com todos os materiais correspondentes a essa busca. Outra facilidade é a busca pelo código RQ.

POR QUE AS EMPRESAS DEVEM PARTICIPAR DO NOVO CATÁLOGO?

Daniel: Quando começamos o projeto do novo Brazilian Stones pensamos exatamente em quais vantagens e necessidades as empresas teriam com uma nova versão. Sabemos que, hoje, as empresas do setor de rochas naturais possuem sites, uma realidade diferente da primeira versão do catálogo lançado em 2004. Pensando de forma estratégica, acreditamos que um mercado unido torna todo o segmento mais forte. Quando uma empresa exportadora brasileira exporta seu material, todo setor ganha e o Brasil passa a ser mais reconhecido e procurado. Por esse motivo, queremos ter o máximo de empresas presentes
no Brazilian Stones para mostrar a força da geodiversidade do Brasil para o mundo.

Felipe: Acreditamos que o Brazilian Stones é uma ferramenta que soma aos departamentos comerciais. As empresas do segmento devem participar, pois estamos ampliando o alcance delas nacional e internacionalmente, e também investindo de forma ativa na comunicação e publicidade dos materiais brasileiros. Esse projeto está sendo realizado porque desejamos ajudar a melhorar a rede de distribuição varejista, e os distribuidores já existentes.

O QUE PODEMOS ESPERAR DA REVISTA ROCHAS PARA O FUTURO?

Daniel: Neste momento estamos focados nas ações de divulgação do catálogo. Faremos várias ações de marketing, por meio de ferramentas e mailings da revista Rochas de Qualidade, promovendo o acesso on-line do catálogo; anúncios, newsletter, mídias sociais, parcerias em portais, feiras nacionais e internacionais, entre outros eventos. Dentro do nosso planejamento, desejamos expandir ainda mais neste ano a Revista Rochas Digital.

Felipe: Mas não vamos parar somente nessas ações. A nova versão do catálogo é apenas o começo de várias ações que lançaremos em 2020. Somos uma revista de 52 anos que está se reinventando e explorando novos canais de comunicação e negócios digitais. Desejamos manter sempre vivo esse espírito inovador e vanguardista que herdamos do nosso pai.
Aproveitamos para agradecer o apoio das empresas parceiras que anunciam na Revista Rochas e acreditam no nosso trabalho, pois sem elas não seria possível promover as ações de marketing e produzir os conteúdos sempre em prol do setor de rochas.

Felipe Vampré de Castro Sócio Diretor
Daniel Vampré de Castro
Sócio Diretor